sábado, 22 de dezembro de 2007

O céu é o limite?


Esses dias tenho visto e ouvido cenas que me mostram o quanto as pessoas não tem LIMITES. Esse meridiano que separa o bom e o ruim, o certo e o errado, a verdade e mentira, enfim... Os dois lados de qualquer situação.

"São só dois lados da mesma viagem. O trem que chega é o mesmo trem da partida..."
(Maria Rita)

Pra mim, sempre tem de haver um meio-termo, sabe? A gente deve buscar sempre encontrar o nosso limite e respeitar o do próximo. Não é fácil, requer respirar fundo, colocar a cabeça no lugar, ficar só, pensar, chorar e... lá estará ela. Uma linhazinha tênue que nos faz nem certos, nem errados, mas justos.

Essa ausência de barreiras nos dá a sensação de onipotência, de estar acima das regras. Taí a grande mentira. Só Deus pode tudo, ainda que seja lugar-comum dizer isso. A gente pode tudo, até certo ponto.

Dizer a verdade é bom, querer que aceitem sua verdade é prepotência.
Ouvir o outro é bom, ser guiado por alguém é submissão.
Dá pra perceber a fragilidade da ponte?

"A ponte não é de concreto, não é de ferro, não é de cimento. A ponte é até onde vai o meu pensamento..."
(Lenine)


Alguém poderia dizer-me que cada um tem o seu limite. E é verdade. Mas falo da essência: não agredir fisicamente (nem moralmente), não gritar, falar a verdade sempre, respeitar o outro e suas escolhas, guardar segredos, se preservar, enfim... Essas ações deveriam servir de base para todos.

Por besteira, as pessoas se ofendem. Por menos ainda, se agridem. Onde isso vai parar?Eu me encaixo nisso tudo. Já passei pro lado ruim algumas vezes... Quando não aceito algum argumento, quando sou impaciente, quando desisto de alguém, quando não quero estar errada.

Avaliando minhas atitudes, nunca me afastei muito dos meus limites. Saio dele sim, mas sempre estou beirando seu acostamento. O que me lembra Renato Russo: "eu erro também". Reconhecer o erro já é o início do caminho de volta. Ignorá-lo é burrice.



Para o bem de todos e felicidade geral da nação, dois conselhos:
Gritar, só de alegria!!!
Tocar o outro, só pra dar carinho!!!


Ah! Vou incluir um terceiro, talvez o mais importante de todos: reveja SEMPRE seus conceitos.

2 comentários:

Ana Libório disse...

Mari,
vou tentar seguir seus conselhos, mas e se o "cara do protocolo" vier com palhaçada, eu posso gritar e fazer meu barraco de novo???hahahahahahahha

A gente grita para reivindicar nossos direitos, a gente grita pra colocar a raiva pra fora, grita torcendo pelo nosso time e ,claro, grita de alegria!!!

Tocar pra dar carinho é de exterma importância, concordo com vc!!

E rever os conceitos, nem se fala né?? Tem tanta gente conhecida precisando fazer isso...hahahahahahahaha

Um beijo espremiiiiiiiiiiiido!!!!

Bia disse...

Mari,

proíbe essa tal de Ana d comentar pq ela é mtooo chata! Só pq o cara do protocolo tava fazendo uma preguinha na hora do trabalho, ela fez um escândaloooooooo! Rs!

Bem, sobre o tema: tenho q m declarar seguidora d limites. Acho q é sim importante as vezes sair da estrada e colocar o pé na beirada, onde o asfalto não alcança, mas temos de ter mto cuidado p n ir longe dmais, certo?!

Vamos aproveitar mais uma virada d ano p rever nossos conceitos, fazer nossos balanços e deixar só oq é bom ao nosso redor!

Bjinhos