sábado, 17 de maio de 2008

A AMADA de Jorge.


Aqui na Bahia, em qualquer esquina há um traço da literatura de Jorge, em cada rua há dois ou três personagens de Jorge, o AMADO por todos.
O amado Jorge correu o mundo e numa dessas corridas conheceu [já ouvi dizer que foram apresentados por Dorival Caymmi] a fotográfa e escritora ZÉLIA, paulistana, com sobrenome GATTAI, de tradição italiana, apaixonou-se pelo baiano AMADO.
Tornou-se a AMADA de Jorge. Frutificaram em literatura, artes, amigos, filhos, momentos felizes, grandiosos e eternos [ñ poderia ser diferente para um homem que carrega no nome o AMOR].


Em 2001 as cinzas de Jorge foram espalhadas no jardim da casa do Rio Vermelho e a sua AMADA então escreveu as memórias dessa vida. A doce vida ao lado do seu amado Jorge. Hoje, Zélia Gattai deitará ao teu lado, que a eternidade seja cúmplice desse lindo amor AMADO.










*Conheci Zélia Gattai quando li "Crônica de uma namorada". Pra mim ela é um exemplo de que inteligência nada ver a ver com a arrogância ou altivez.
Tenho certeza de que Jorge já não aguentava mais ficar lá encima sem ela.





** Texto escrito por Guto Chaves e revisado por mim, claro. Rs!

3 comentários:

Guto Chaves disse...

Obrigado pelo espaço e por fazer as correções do texto, viu? rs!

Ana Libório disse...

Amiga, nunca li Zélia,apesar de ter um livro dela lá em casa, dado por minha avó Helena, que não gostava nem de Zélia nem de Jorge!hahahahahhahahahahahaha
Mas,prometo ler e dar minha opinião depois.
ò...tb quero que vc escreva um post pra mim: "A amada de...de...de...".

*Até que enfim, atualizei o meu e o seu blog!!!!!!rs

Guto Chaves disse...

FAVOR RETIRAR TODOS OS CONECTIVOS COM MEU NOME,DO SEU BLOG! AGRADECIDO