sexta-feira, 13 de junho de 2008

E sei... mas há controvérsias.

Dia dos Namorados. Impossível não pensar sobre isso em 12 de junho. Tá, pode ser forçação de barra da mídia, mais uma data comercial inventada pra gerar receita, mais um dia apelativo no nosso calendário; mas é impossível não pensar. Os amigos acompanhados ligam e pedem sugestões de lugar, as amigas solteiras programam aquele reggae; afora isso, chovem frases bonitinhas, românticas e... por que não? Engraçadas!!

"O dia é dos namorados mas a noite é dos solteiros"
(frase do msn de alguém...)

E eu começo a me questionar o porquê de estar sozinha. Tenho amigos que me julgam extremamente seletiva e outros acham que sou boa demais ( gostosa não, meu povo!rs!) pra aceitar qualquer coisa. O que eu acho? Er... hum... Boa pergunta!!!

Minha Tia Soraia tem uma teoria:

Soraia:
hahahahahahahaha você não faz o estilo "sou pra casar"" é muito estilosa e dinâmica
Mari:

isso quer dizer que vou ser solteirona? não posso ser dinâmica e ter meu par? ai, senhor!!
Soraia:

assusta os homens ou só atrai aqueles que querem ficar solteiros pro resto da vida

Sinceramente acho difícil responder essa pergunta porque eu mesma me vejo num emaranhado de questões. Quem vai responder é a minha carência ou a minha postura de mulher independente?

É... Digo isso porque toda mulher carente se deixa envolver por palavras e sensações que não fariam efeito se ela estivesse em dias com o amor. Quem nunca ouviu: "é a carência, amiga" que atire a primeira pedra (mas não jogue em mim porque essa frase soa habitual aos meus ouvidos). Na contra mão, a mulher independente aceita o bom e velho sexo casual, não é chegada a perguntas e sabe que o cara diz coisas legais só pra manter a relação interessante mas ela prefere não acreditar numa vírgula do que o sujeito diz.

"Mas o AMOR pode chegar, iluminar e colorir..."
(Natiruts)

E onde está Wally*? Ali. No meio disso tudo. Carente, é verdade. Independente, também. Mas consciente duas verdades: "gestos valem mais que palavras" e "quem quer faz acontecer". Creio que o X da minha questão more aí: eu não me deixo enganar. Sei até onde vai a minha carência e o meu senso de verdade. Acredito nas pessoas. Sempre. Mas há momentos em que a gente não se dá conta de que dizemos frases intensas e somos superficiais.

Por isso opto por seguir firme com minha consciência e... esperança (Santo Antônio, me ajuda! rs!). Eu não estou sozinha por opção mas vou ficar assim até achar que deva. Eu sei que eu sou uma pessoa legal (tenho trocentos defeitos) mas sei que mereço alguém bacana. Que esse alguém chegue logo, prove a minha tia que ela está errada (rs!) e dê sentido real às palavras que vou ouvir!














*Wally aqui.

6 comentários:

Ana Libório disse...

Minha avó diz que "Quem tem boca, diz o que quer", mas acho que certas coisas deveriam ser ditas com mais responsabilidade, como as palavras que referem-se a sentimentos.
É simples dizer "Eu te amo". Muito simples. Dificil é sentir o amor. E algumas pessoas precisam aprender a não banalizar os sentimentos, a não soltar certas palavras com se elas fossem apenas "palavras....são mais que isso...são SENTIMENTOS!!!
É preciso aprender a ter responsabilidade com o outro. É preciso discernir o que se sente realmente antes de sair por aí dizendo "Eu te amo".
Não vou prolongar mais o meu comentário pq esse é um tema que eu levaria horas discutindo...sei até o nome das pessoas com as quais eu discutiria,né???hehehehehehehehe

E quanto a estar sozinha...bom, eu tb estou, se isso ameniza alguma coisa...hehehehehhhehhehehe

Sérgio A. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sérgio A. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sérgio A. disse...

Quem vive em busca de um grande amor, passa a maior parte do tempo sem alguma coisa, descontente, infeliz. Todos nós podemos, um dia, encontrar alguém para amar e para nos amar, ou não!
Não há regras, normas, padrões ou fórmulas a serem seguidas... as circunstâncias determinam o movimento de nossas vidas, não o contrário...

Namorar porque alguém acha que devíamos, é como almoçar quando alguém está com fome, ou dormir quando alguém está com sono. Isso pode trazer alegria para alguém, mas não necessariamente para nós.
Viva a sua vida, o seu momento, as suas sensações como você acha que deve. Sempre haverá alguém pronto pra dizer o que devemos e não devemos fazer, mas somente nós mesmos sabemos (quando sabemos) o que se passa em nosso íntimo.
=]

PS: Pra lindinha aí de cima...

O que é amor? Será que o amor que sentimos por alguém é igual ao que sentem por nós? É possível amar sem ser amado, ou ser amado sem amar? Quem decide quando o "eu te amo" é sincero, quem diz, ou quem ouve?

Realmente, é muito simples dizer "eu te amo". Difícil mesmo é ouvir...
=]

Ana Libório disse...

Voooooolta logo,amiga!!!

O que é que Sérgio quer falando de mim???Vou deixar uma resposta no blog dele!!!!!!!!

Voooooooooooooooolta!!Saudades,porra!!rs

Sérgio A. disse...

Hmmmm... bem que eu senti falta de Mari... Onde se meteu essa guria?

PS: Aninha, eu não falei de você, eu falei com você! Só não entendi pq não deixou sua resposta aqui...

Anywayz, Volte, Mari!
=]